quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Amanhã é incerteza

   A vida é poeira, é sopro, é piscar de olhos,
é nuvem que passa, é brisa
que vai, é folha que seca, que cai. É flor que murcha, é pó.
   O amanhã é sorriso, ou é lágrima. É o não saber.
É a expectativa ou a frustração, a alegria ou a dor.
É a incerteza.
   O hoje é o viver, o presente, o ser e estar. É o aqui e agora.
É a oportunidade, é momento.
   Que a vida seja vivida hoje, com a intensidade que cada minuto oferece.
Com a paz e tranquilidade que se merece. Com o amor
que se deseja.
Por que o amanhã pode não ser, pode não estar.
Ele é incerteza, não nos pertence...

Cássia de Oliveira

domingo, 3 de abril de 2016

E que se viva!

Que loucura essa vida. Que desafio esse jogo de viver, essa roda gigante que nunca para.
Que doida essa instabilidade constante que leva a vida aos extremos num piscar de olhos.
Que difícil não ter manual de instrução, ter que arriscar sempre, arriscar ganhar, arriscar perder.
Que louca loucura esse tempo que não dá pausas, que não espera, que atropela e que passa tão depressa.
Que complicado entender que o passado não volta, que o presente dá voltas e que o futuro nem sempre se vê.
E se isso é viver, esse turbilhão de sensações e emoções, que se viva pra valer.
Que se estenda mais a mão, que se doe mais abraços,  e se repita o perdão, sem limites, sem limites...
Que o amor, não seja tão escasso, nem tão burocrático, de tudo, ele é o menos complicado. Então, que se ame com intensidade, que se ame mais.
Que sorrisos apareçam com exageros, por motivos ou à toa, ele é sempre válido. Quanta vitalidade eles transmitem.
Que palavras boas sejam sempre ouvidas, de amigos ou estranhos, não importa. Importante é ouvi-las.
Que o medo seja apenas o combustível para nunca se parar. Para andar, sempre andar.
Que as paixões sejam bem vindas, as novas, as antigas, até as escondidas, porque apaixonar-se é necessário. Apaixonar-se sempre e repetidamente, por pessoas, por lugares, por momentos. E que não vire rotina, mas estilo de vida.
Que a sinceridade esteja presente e  seja respeitada, porque diferente da falsidade, ela faz crescer.
Que a humildade seja desejada por todos, assim como a gentileza e o respeito, porque nessa vida, somos todos, indiscutivelmente, todos iguais.
E que a paz, aquela que excede a todo entendimento, seja exalada, seja sentida, de segunda a segunda, sem restrições, sem interrupções. Porque, sim, ainda é possível nessa loucura de vida, se viver em paz!

Cássia de Oliveira

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Passo tanto tempo sem escrever aqui que, provavelmente eu sou a única que leio rs
Mas tudo bem!

As palavras a seguir, foram escritas no ano passado, mas hoje lendo o local onde escrevo meus pensamentos, orações e desabafos (pra não dizer "meu querido diário"), encontrei algo que penso ser pertinente. Sei lá, talvez você leia, se identifique e caia na real, assim como eu, que as coisas não vão bem e então, procure melhorar.  Ou quem sabe você vai ler e não entender nada. De qualquer forma, aí vai mais um pensamento que se desembaraçou ao passar pelos dedos.

Não é que as forças se acabam ou a esperança se vai,
É  que a gente se afasta de Deus.

Não é que o sentido se perde e a alegria desvanece,
É que a gente se afasta de Deus.

Não é que o brilho se apaga e o sorriso some,
É que a gente se afasta de Deus.

Não é que o sonho se dissipa e o objetivo se frustra,
É que a gente se afasta de Deus.

Não é que o coração aperta e a alma geme,
É que a gente se afasta de Deus.

Não é que a amizade termina e o mundo desaba,
É que a gente se afasta de Deus.

Não é que o viver esmorece e o respirar se fatiga,
É que a gente se afasta de Deus.

Não é que tudo perdeu o controle e a existência seja um erro,
É que a gente se afasta de Deus.

Quando a gente se afasta de Deus, experimenta a mais profunda dor na alma e o mais intenso pesar, Não porque ele castiga, mas porque longe dele, tudo perde o sentido.

Cássia de Oliveira
(25/10/15)

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Mais amor por favor!

          Que o facebook não é o melhor lugar para se encontrar coisas interessantes, isso é verdade. Mas, vez ou outra alguém salva a pátria postando algo significativo. Hoje, por exemplo, li a seguinte frase: "Eu não preciso ser gay pra lutar contra a homofobia". Simples, mas inteligente.
O sujeito autor tem toda razão. Assim como não preciso ser de raça negra pra lutar contra o racismo, tampouco uma criança para combater a violência infantil. Só preciso ser humana e tratar o meu próximo também como humano.
As fotos coloridas nos perfis já estão incomodando muita gente. E por quê? Porque não concordam com a prática homossexual em si ou porque não toleram o "ser diferente"? Qual o problema com a diferença do outro? Por que respeitar classes específicas, enquanto todas se encaixam na de ser humano?
Isso é algo que realmente me incomoda! Não estou defendendo A ou B. Sou cristã e hetero, tenho meus princípios e conceitos formados e nunca fui desrespeitada por isso. Assim como não desrespeito aqueles que não concordam comigo. Se Jesus, sendo Deus, ofereceu e oferece seu amor a todos, sem impor critérios ou escolher gêneros, quem sou eu pra humanizar uns e desumanizar outros? Pra amar uns e desprezar outros?
Tenho amigos homos e heterossexuais e o amor que dispenso a eles tem a mesma intensidade. Posso não concordar com os atos e pensamentos de muita gente, mas isso não muda a forma como as vejo - humanas e alvos do amor de Deus. E a parte de julgar (que muitos adoram), eu prefiro deixar com Ele.
Mais amor por favor! "Porque toda lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás o teu próximo como a ti mesmo."

Cássia de Oliveira

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Eu poderia escolher qualquer coisa,
mas escolhi confiar.
e a partir do momento que confio,
já não sou eu quem direciona minha vida,
mas sim, aquele em que está depositada a minha confiança.
Já não sou eu quem escolhe o que fazer ou onde ir, mas Ele, Ele me diz
o que devo fazer e para onde ir.
Quando Ele não me diz, é porque quer que eu mesma escolha,
e por confiar nEle, eu opto por aquilo que irá agradá-lo.

Cássia de Oliveira

domingo, 4 de janeiro de 2015

  - Reclamare* + Ação


      Chega um momento em que você percebe que precisa melhorar, aquelas horas em que mudanças passam da lista de opções para a de necessidades.
Não, essas percepções não se dão pelo fato de ter iniciado um novo ano. Afinal, 2015 será como todos os outros se você optar pela inércia, isto é, falar muito, mas fazer nada.
Visivelmente falando, as coisas até estão bem, mas porque deixá-las assim se podem ficar muito bem, ótimas e até mesmo excelentes?

   Você não muda por preguiça ou por medo do novo?
   
  Talvez o principal motivo, seja mesmo a falta de coragem em renunciar algumas coisas.   Sim, se você procura por algo novo, precisa entender que é extremamente necessário dar boas vindas às renúncias! Afinal, é loucura desejar por mudança e continuar fazendo o que sempre fez.
Difícil? Com certeza. Mas jamais um ato impossível. Até porque, depois de um tempo torna-se habitual, você só precisa esforçar-se com demasia para o start.
      
    E calma! Não precisa se lamentar porque o primeiro dia do ano (aquele onde se inicia 1 milhão de coisas) já passou, ele certamente foi único, não vai voltar, mas você tem muitos outros pela frente. A esses dias, você pode dar o nome de "oportunidades", pois no despertar de cada um deles, você terá a possibilidade de mudar, de fazer melhor, de renunciar o supérfluo e ficar com o essencial. Terá a chance de ser ao invés de apenas parecer.

Cássia de Oliveira

*reclamāre do latim,“gritar contra”. Opor-se a algo ou protestar oralmente ou por escrito, queixar-se de alguma desconformidade, reivindicar ou exigir algo que foi injustamente tomado.